OS 5 TIPOS DE INOVAÇÃO QUE QUALQUER EMPRESA PODE E DEVE ADOTAR EM SUA ESTRATÉGIA DE NEGÓCIOS

Tipos de inovação?

Sim, isso mesmo.

Há 5 diferentes modalidades de inovação para o mercado ou para a própria empresa, que qualquer organização ou empreendedor pode e deve realizar.

Neste artigo você verá:

OS DOIS LADOS DA MOEDA QUANDO SE FALA EM INOVAÇÃO NO BRASIL

 

Há “dois lados da moeda” quando se fala em inovação no Brasil.

Um lado é o infeliz fato de que o Brasil está estagnado no Ranking Mundial de Inovação, segundo matéria do site da ANPEI – Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras, publicada em junho de 2017.

Segundo o texto, “de 130 economias de países analisados, O Brasil ficou na 69ª posição no Índice Nacional de Inovação, elaborado pela Universidade de Cornell, pela escola de negócios Insead e pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual. ”

Outro trecho relevante cita que “passamos da 47ª posição, em 2011, para a 69ª atualmente. A crise contribuiu para essa queda, e as fontes de financiamento público à inovação secaram. Além disso, houve uma desorganização empresarial com a crise política e as investigações policiais (Lava Jato) ”.

O “outro lado da moeda” é o fato de que apesar desse ranking, inovações pontuais e interessantes surgiram, e curiosamente, algumas delas foram realizadas por pessoas comuns, startups ou mesmo por pequenas empresas.

Veja alguns exemplos:

  • Em Belo Horizonte, nasceu uma das empresas mais inovadoras do mercado de negócios digitais, a Hotmart, que inclusive está localizada num polo de inovação da capital mineira chamado San Pedro Valley, outro forte indício de que há um organizado movimento de inovação em curso;
  • Gabriel Goffi, ex-jogador de Poker, criou uma das maiores startups de desenvolvimento pessoal do Brasil, a High Stakes Academy, que alcançou um sucesso imenso em impacto social e em faturamento;
  • A Embraer criou aeronaves de pequeno porte que despontam pela qualidade e segurança dos vôos que realizam;
  • O queijo canastra, que foi reconhecido oficialmente pelo INPI e desponta como patrimônio cultural-gastronômico mineiro;
  • O Banco Sofisa criou o primeiro banco 100% on-line, sem agências físicas, sem tarifas e com investimento mínimo de R$1,00 (Um real🙂) em aplicações que os grandes bancos não oferecem ao pequeno investidor;
  • O aplicativo Méliuz, que devolve na conta bancária dos usuários, um percentual do dinheiro gasto em compras nos estabelecimentos credenciados

A lista pode se estender muito, mas estes poucos exemplos mostram fatos reveladores sobre as mudanças no país, que há alguns anos atrás era visto internacionalmente apenas como um mercado consumidor do primeiro mundo.

Estamos longe do topo do ranking, mas algo diferente já está acontecendo no Brasil.

A IMPORTÂNCIA DE CONHECER OS DIFERENTES TIPOS DE INOVAÇÃO EXISTENTES

Como explicar “o primeiro lado da moeda”, ou seja, a estagnação do Brasil em termos de inovação no ranking internacional?

Porque essa inércia toda quando o assunto é geração de valor novo?

A explicação é a mais óbvia mesmo: falta conhecimento, formação para o empreendedorismo e para a inovação na educação de base.

A outra explicação, apesar de simples, um pouco menos óbvia, é o que chamo de “leitura legal”.

A pessoa até lê livros, teses, artigos e outras fontes de conhecimento, mas não coloca a teoria em prática.

E mais uma “leitura legal” se fez.

Costumo dizer para os alunos do meu Método de Desenvolvimento Pessoal que não adianta ler um livro e não fazer algo com o conhecimento aprendido.

Um parágrafo ou até mesmo uma linha que tenha um conteúdo útil precisam ser aplicados na prática.

É isso que separa as pessoas com visão profissional das demais, que só esperam que as coisas “caiam do céu”.

Visão profissional não se refere apenas a tarefas de trabalho, mas a um modo dedicado de ver a vida, a aprendizagem e as oportunidades.

Um “modus operandi” que nos mostra o caminho natural de como ser mais criativo.

Um fato que nos coloca para refletir é que muito da produção científica do Brasil, acaba sendo utilizada por inovadores estrangeiros que colocam em prática o que se descobriu aqui para criar produtos inovadores lá fora.

É por isso que é preciso enxergar a inovação como um processo e compreender os possíveis caminhos para sua realização.

Em negócios inovar é gerar dinheiro novo, seja pela geração de receita, seja pela redução de custo.

Esta é a forma mais realista de medir se uma suposta boa ideia se tornou ou não uma inovação sob o ponto de vista da empresa.

Mas há também o ponto de vista de quem compra, do mercado, dos clientes.

Como os clientes medem se um produto ou serviço é inovador?

Resposta: avaliando se o produto ou serviço gerou uma transformação em sua vida.

Quanto mais significativa for a transformação gerada, mais inovação percebida haverá na mente do cliente.

O cliente sempre vai avaliar se seus incômodos e/ou sonhos estão sendo solucionados.

Dominar os tipos de inovação existentes abre portas para a geração de valor, tanto sob o ponto de vista do cliente quanto sob o ponto de vista do negócio.

Esta é a ideia central que você precisa se atentar.

OUTRAS CAUSAS DA BAIXA INOVAÇÃO BRASILEIRA

Além destas duas primeiras explicações que justificam a estagnação do Brasil em inovação, há outros porquês do dia-a-dia que merecem ser citados.

Veja:

  • Mesmo sabendo que a inovação abre portas é difícil para muitos donos de negócio conseguir inovar na prática;
  • Muita gente fica sem saber por onde começar;
  • O “apaga incêndio” do dia-a-dia costuma ser uma das mais fortes barreiras à inovação;
  • Paradoxalmente, em alguns casos é comum o pensamento de que inovar é “a salvação”, quando na verdade inovar pode ser “a maldição”, se for realizada sem planejamento e consciência

Apesar de ter melhorado muito nos últimos anos, o Brasil não é um país que carrega a inovação em sua cultura.

Somos historicamente criativos, mas não necessariamente inovadores.

Isso não desfaz o mérito das fantásticas invenções que nasceram aqui.

Mas é preciso entender que somente a inovação sistemática, ou seja, o uso de métodos para que qualquer cidadão possa inovar passo-a-passo é o caminho para que o Brasil suba muito seu nível no ranking internacional.

Essa é uma das premissas mais transformadoras que as pessoas precisam adotar.

A partir daí todos esses outros porquês que citei, perderão força.

E a inovação passará a ser a estrela cultural, que “em boa hora” substituirá o medo, o amadorismo e a burocracia que assombra muitas das empresas e instituições brasileiras.

OS 5 TIPOS DE INOVAÇÃO APLICÁVEIS A QUALQUER TIPO DE NEGÓCIO

 

Agora vou apresentar os 5 (cinco) diferentes tipos de inovação para que todos possam entender por onde é possível começar uma manobra de geração de valor em qualquer área ou porte de negócio.

Todos eles fazem parte da tipologia de inovação apresentada no Manual de Oslo (baixe clicando aqui), documento oficial para a prática de inovação segundo a Finep.

No manual são citados 4 (quatro) tipos de inovação: produto, processo, organizacional e marketing que diferem do que apresento neste artigo em dois aspectos:

  • Na ordem de apresentação
  • No fato de que o Manual de Oslo menciona inovação organizacional em geral e no presente texto, optei por fragmentá-la em inovação em gestão e inovação em modelo de negócio, pelo fato desta última ser uma ciência que foi popularizada recentemente, com muitas novidades específicas e se apropriando dos conceitos de design thinking (pensamento visual utilizado por profissionais que utilizam desenhos para representar mais facilmente alguma realidade cartesiana ou subjetiva).

Então vamos aos 5 (cinco) tipos:

1 – Inovação em Produto/Serviço

Produtos e serviços são um dos tipos de inovação

É a criação ou reinvenção de um produto ou serviço propriamente dita.

Um clássico exemplo de inovação em produto é o smartphone, que no momento em que escrevo esse artigo (Janeiro de 2018), está nas mãos de praticamente todo adulto e todo jovem.

Todo mundo sabe que quem começou essa história foi o célebre Steve Jobs com o lançamento do Iphone.

Outro exemplo de produto inovador interessantíssimo, que por acaso conheci outro dia é uma máquina que faz sorvete usando apenas frutas congeladas.

Basta colocar a fruta no congelador e deixá-la até um certo ponto de resfriamento e pronto; é só passar na máquina e o resultado impressiona até os mais céticos.

Alegria para quem busca uma alimentação mais saudável sem perder o sabor.

Alegria também para os que precisam restringir o consumo de açúcar e outros ingredientes nocivos dos sorvetes populares.

Estou colocando o vídeo abaixo porque realmente me impressionou o resultado, mas declaro que não tenho qualquer ligação com a empresa fabricante e não estou recomendando o produto:

Exemplificando também a inovação em serviço, podemos citar o fenômeno WhatsApp, que em julho de 2017 já tinha mais de 1 bilhão de usuários espalhados pelo mundo (fonte).

O mais curioso é que o WhatsApp, que todo mundo considera uma grande inovação, ainda não gera lucro direto para o dono, que hoje é nada mais nada menos do que Mark Zuckemberg, o criador do Facebook.

Mas apesar de figurar como inovação somente para os usuários até o momento, sabemos que o garoto prodígio da rede social mais popular do mundo “não dá ponto sem nó”.

“Rumores” dizem que o que ele mais quer do WhatsApp é o conjunto de informações que a tecnologia provê a respeito dos usuários e do comportamento humano.

2 – Inovação em Processo

 

É uma transformação na maneira de realizar uma ação, que no final das contas resulta em mais dinheiro.

Seja pelo ganho na velocidade ou em redução do tempo e do custo, a “industrial” inovação em processos, hoje ganha destaque em outros contextos e mercados, até mesmo no mercado de serviços.

Qualquer tipo de negócio tem processos e quanto mais eles forem otimizados, mais resultado interessante tende a aparecer.

Um exemplo muito legal de inovação em processo é a automação de marketing trazida por softwares como o Aweber, Get Response, InfusionSoft dentre outros.

Estas ferramentas mudaram a forma como empresas podem se relacionar com seus clientes através da entrega de conteúdo gratuito e consequente realização de negócios através de e-mail marketing.

Tudo funciona de forma automatizada, desde a entrada de uma pessoa interessada em resolver problemas de todo tipo numa lista de contatos, até o envio de conteúdo sequenciado, relacionado à solução destes problemas e consequente venda de algum produto ou serviço.

Tudo isso 24 horas por dia, sendo executado por um programa que não depende da presença humana.

Para inovar em processos a primeira coisa que é preciso fazer é mapear o processo para que cada parte dele esteja muito clara.

A partir daí se torna muito mais possível pensar em alternativas que diminuirão tudo o que consome tempo e dinheiro.

3 – Inovação em Marketing

Mais um interessante foco da inovação é o marketing, que por sinal tem passado por uma verdadeira revolução nos últimos anos.

Considero esse tipo de inovação uma verdadeira oportunidade que a internet nos trouxe, especialmente porque pude alcançar muito mais clientes que contrataram minhas palestras motivacionais nos últimos anos.

Um inesquecível caso de sucesso de inovação em marketing é o que fez o Banco Itaú, ao disponibilizar bicicletas para seus correntistas residentes nas grandes metrópoles.

Dentre os tipos de inovação as bicicletas do Itaú são uma inovação em marketing

Em vários pontos pela cidade as “bikes” podem ser liberadas para um passeio que funciona como lazer e ao mesmo tempo como propaganda para o Itaú.

Simples, barato e eficiente.

Os resultados parecem interessantes.

Tanto é que o Banco Itaú está investindo numa fábrica própria que trará tecnologia canadense para o sistema de bicicletas compartilhadas como se vê nessa recente notícia aqui.

O que chama a atenção na inovação em marketing é que ela pode ser realizada sem grande complicação realmente por qualquer negócio, seja empresa ou mesmo um empreendedor que está começando.

O simples fato de adotar uma nova mídia que resulte em negócios fechados pode ser considerado uma inovação em marketing.

Em uma de minhas palestras pelo Brasil abordei esse singular fato e muitos empreendedores mostraram uma crença que costumo chamar de “complicação da inovação”, por pensar que inovação tem sempre que envolver tecnologia e que inovar em marketing é mais difícil do que parece.

Foi isso também que a top palestrante Martha Gabriel deixou claro para empreendedores num evento em que fomos palestrantes em Porto Velho, no final de 2017.

Se uma ação de marketing como a do Itaú está trazendo novos clientes, e se está fazendo os clientes atuais adquirirem mais produtos do Banco, por mais simples e barata que seja para um banco desse porte, podemos dizer que é uma grande inovação em marketing.

Se por exemplo a sua empresa não estava presente no Youtube e começou a publicar vídeos de conteúdo que ajudem o público-alvo, e esse público passou a fazer negócios, isso não tem outro nome senão inovação em marketing.

E por outro lado, se uma empresa inventou uma outra ação de marketing jamais vista e essa ação custou bem menos do que o resultado financeiro que produziu, igualmente o que podemos dizer é que foi uma inovação em marketing.

Logo, o que pretendo que todos compreendam é que é preciso descomplicar e focar no resultado desejado, de preferência usando recursos baratos.

Não é preciso “inventar ou reinventar a roda” para fazer do marketing uma ponte para a verdadeira inovação.

4 – Inovação em Gestão

Essa modalidade de inovação também tem sido alvo de muitas empresas e muitas startups.

Certamente a gestão é um dos processos mais transformados pela inovação nas últimas décadas.

A prova disso é o surgimento de muitos métodos interessantes, visuais, sistêmicos, além dos softwares de gestão integrada e novos modelos de gestão comercial.

Veja por exemplo o BSC – Balanced Scorecard, que revolucionou a forma como as empresas fazem gestão estratégica.

O balanced scorecard é um dos exemplos dos tipos de inovação em gestão

Veja também a quantidade de softwares B.I. – Business Inteligence disponíveis no mercado.

Igualmente podemos citar o Project Model Canvas, metodologia inovadora de gestão de projetos criada pelo Professor José Finochio, que amplia a visão do gerente de projeto desde o princípio, revolucionando a forma como planejamento e execução são realizados.

Canvas de projeto exemplifica a inovação em gestão como um dos tipos de inovação

Muitas empresas têm trabalhado a inovação na gestão de custos, na gestão de equipes de vendas e de outras equipes.

A gestão da qualidade também se enquadra no foco de inovação com métodos e processos consagrados em muitas indústrias.

Na prática, a forma de remuneração e a relação resultado-recompensa tem ficado mais interessante e mais desafiadora para as equipes que passaram por uma inovação em gestão.

Você e sua empresa também podem (e devem) adotar a inovação nesta modalidade questionando e mudando a forma como a gestão é realizada

Um excelente começo é mapear os “gargalos” do modelo de gestão atual.

5 – Inovação no Modelo de Negócio

Costumo dizer que de todos os tipos de inovação esse foi certamente o mais celebrado desde 2005.

Muitas empresas transformaram sua curva de valor e seus resultados redesenhando seus negócios apenas com uma remodelagem, muitas vezes simples, alterando apenas alguns pequenos detalhes que fizeram muita diferença.

E também costumo dizer que acredito que essa modalidade de inovação ainda vai trazer muita novidade para o mercado.

Se pensarmos bem, empresas como o Cirque Du Soleil, Casas Bahia, Netflix, Warby Parker (Empresa que vende óculos “descolados” pela internet e doa um óculos de receituário para uma pessoa carente a cada venda) são todas alvos de inovação no modelo de negócio.

Há muitos outros casos inclusive brasileiros desse tipo de inovação.

Por exemplo as Casas Bahia, que tiveram uma época de ouro no passado, é um negócio de sucesso que nasceu apenas mudando o modelo de negócio.

Os produtos eram os mesmos que os outros varejistas vendiam.

O que eles mudaram foi essencialmente o público alvo (baixa renda desprezada pelas lojas famosas que sempre burocratizavam o financiamento) e a forma como faziam negócio com este público, com um sistema muito mais flexível e humano para trabalhar com o crediário.

Essencialmente as Casas Bahia não trouxeram qualquer invenção nos produtos, que eram basicamente os mesmos móveis e eletrodomésticos encontrados em qualquer outra loja.

Mas fizeram uma revolução no modelo de negócio para atender às necessidades de quem precisava ter acesso a tudo o que todo mundo já tinha pagando prestações com uma flexibilidade jamais vista.

Outro caso brasileiro que vale à pena citar é a Gol Linhas Aéreas, que hoje está em situação contextual diferente no mercado, mas quando iniciou suas atividades fez uma grande revolução, trazendo para nosso país o modelo de baixo custo e nenhum luxo, que quebrou todos os paradigmas do glamour e das restrições de público da aviação.

Já falei sobre modelagem de negócios aqui no blog em um vídeo que gravei diretamente de Aracaju quando fui palestrar sobre inovação para mais de 500 empresários.

Veja:

Para fazer inovação no modelo de negócio você precisa utilizar a ferramenta Business Model Canvas (Tela do Modelo de Negócios).

Em breve farei um artigo falando exclusivamente sobre como utilizá-la.

CONCLUSÃO

 

Conhecer os tipos de inovação é um start interessante para pensar nas reais possibilidades na sua empresa ou no seu negócio.

Como leitura complementar, recomendo que veja essa página da respeitável 3M, explicando e exemplificando os tipos de inovação.

Em breve escreverei novos artigos mostrando como realizar cada um dos 5 tipos de inovação, em qualquer tipo de negócio.

Também vou explorar em artigos distintos os tipos de inovação quanto à intensidade (incremental, semi-radical e radical) bem como a tipologia quanto ao nível de abertura da inovação (inovação aberta, inovação fechada, inovação em rede e redes de inovação).

Mas você e sua equipe já podem iniciar desde já, tomando consciência destas modalidades de inovação e pensando qual delas pode ser o primeiro alvo para gerar dinheiro novo, começando agora🙂.

Cada empresa, com base na natureza de seu modelo de negócio e/ou necessidade terá mais facilidade em uma determinada modalidade.

Antes de tudo como costumo destacar, identifique as demandas do seu público alvo.

Entenda claramente os incômodos e desejos deles.

Se você ainda não leu o artigo sobre ideias inovadoras para empresas recomendo que leia.

Vai ajudar na iniciativa de adotar um dos 5 tipos de inovação para “começo de conversa. ”

Eu desejo que você “arrebente” nos seus projetos inovadores e em breve, a gente se vê pelo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *