O FANTASMA DO ACIDENTE DO TRABALHO

“Acidentes acontecem”.

Infelizmente esta é uma crença enraizada em muitas empresas.

Uma crença limitante originada na era industrial.

E o acidente do trabalho continua assombrando a vida como um verdadeiro fantasma.

CULTURA EMPRESARIAL E OS ACIDENTES DO TRABALHO

 

Por mais que os trabalhadores neguem, na prática, a cultura de uma empresa é fruto da cultura das pessoas que ali trabalham.

Sei bem disso, pois já fiz palestra motivacional de segurança do trabalho em empresas que estavam investindo na criação de uma nova cultura, para combater e prevenir acidentes.

Esse tipo de acidente tem sido um verdadeiro fantasma em muitas empresas brasileiras.

Assombra desde grandes indústrias até médias, pequenas e micro empresas.

E a única solução para combatê-lo é investimento sério em educação para a vida.

A valorização da vida é a ponte definitiva para a criação da cultura de zero acidente.

Vem antes de qualquer procedimento, regulamento, norma ou conduta.

Equipamentos de proteção individuais, mais conhecidos como EPI´s também são aliados.

Mas não é a segurança.

DE ONDE VEM A SEGURANÇA

Segurança vem de ação, sabedoria, prevenção, experiência e união.

Acima de tudo união.

O acidente do trabalho recorrente é a maior prova de que algo está errado com a cultura de uma empresa.

Por incrível que pareça, suas causas são na maior parte das vezes humanas.

É fruto da condição humana de pensar que “isso nunca vai acontecer comigo”.

Muito parecido com o que pensam os motoristas negligentes.

COMO OS ACIDENTES DE TRABALHO SÃO PROVOCADOS

Do mesmo jeito que um motorista negligente deixa de usar o cinto de segurança, um trabalhador negligente deixa de usar os equipamentos de proteção.

Do mesmo jeito que alguém pode dirigir sem se importar com o outro, um trabalhador pode operar no dia-a-dia ignorando o erro do colega.

Deixa de seguir os procedimentos que são cuidadosamente criados para proteger a vida.

Deixa de valorizar a vida.

O preço que se paga é alto. E não há dinheiro que pague o preço.

Empresas e pessoas que já perderam vidas sabem bem do que falo.

PESSOAS GERADORAS DE TRANSFORMAÇÃO

Por isso, para combater esse fantasma terrível, as pessoas precisam ser geradoras de transformação.

Não há fantasma que resista à luz que se acende quando as pessoas se unem.

O CAMINHO DA SEGURANÇA

 

O caminho da segurança é assim trilhado:

  • Dentro e fora do trabalho tenha sempre em mente que você é essencialmente uma vida.
  • Diariamente, lembre-se das pessoas que você ama, especialmente aquelas que te aguardam em casa após um dia de trabalho.
  • Saiba que as normas de segurança da empresa são acima de tudo para proteger sua vida.
  • Na empresa você é responsável por sua segurança e pela segurança de todos. Isso é união. O resto é discurso.
  • Seja um exemplo.
  • Dê exemplo.
  • As pessoas aprendem o que os outros fazem.

 

É assim que a cultura é criada.

A cultura de uma empresa é a junção do que as pessoas pensam e fazem na prática.

Tenho certeza que se você valorizar a vida, o fantasma do acidente do trabalho vai fugir da sua empresa para sempre.

Que a vida vença, sempre.

 

Imagem de www.sxc.hu

6 Comentários

  1. Avatar

    Boa noite, Daniel!

    Gostei muito do seu artigo, se todos seguissem o “caminho da segurança” muitas vidas seriam poupadas.

    Deus abençoe.

    Responder
    1. Daniel Bizon

      Olá Maria Aparecida! Muito obrigado pelo comentário! Saudações e tudo de melhor. Seja sempre bem vinda ao meu blog!

      Responder
  2. Avatar

    Boa tarde!
    Tenho uma empresa aqui em Caxias do Sul e gostaria de saber se há interesse de você fazer palestras e montarmos uma parceria com a minha empresa Soluseg e a sua?
    Att,
    Leandro.

    Responder
    1. Daniel Bizon

      Olá Leandro.

      A gerente de negócios entrará em contato com você a respeito. Grato!

      Responder
  3. Avatar

    Boa tarde.
    Gostaria realmente que todos, sim todos a começar dos proprietarios das empresas a valorizar mais nao so suas vidas mas a dos seus colaboradores. Pois sem eles nao teriam como estar no mercado. E sim alguns colegas levassem a serio nao somente a sua segurança como ao do companheiro que trabalha ao seu lado. Pois se analisarmos direito a sua familia e o companheiro de trabalho do dia a dia pois muitas das vezes passamos a maior parte do tempo no trabalho do que no convivio em casa. Principalmente quem trabalha fora de sua cidade. Isto sim e a maior segurança que o ser companheiro pode ter confiança.

    Responder
    1. Daniel Bizon

      Olá Alexsandra! Seja bem vinda e muito grato pelo elaborado comentário. Saudações e até a próxima!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *